DK uma notícia, Adilson!

22/06/2009

Frutas, verduras e legumes na Dinamarca

Eu cresci e morei até os 16 anos numa fazenda no interior de Goiás, no município de Itarumã. Lá consumiam-se (e ainda consomem-se) muitas frutas e verduras, aquelas frequinhas e nutridas com adubo orgânico. Acho que foi por isto que adquiri o (saudável) gosto por frutas, verduras e legumes.

Além disto, como sou vegetariano tento incluir no meu cardápio uma boa variedade de  frutas, verduras e legumes (além de fontes de proteína, como leguminosas, castanhas, nozes, ovos, leite e cereais integrais), pois eles são fundamentais para um aporte de nutrientes adequado, incluindo vitaminas, sais minerais, anti-oxidantes, acúcares etc.

Aqui na Dinamarca praticamente todas as frutas e verduras são importadas. Isto ajuda a explicar o preço “salgado” delas. O preço médio de uma banana do tipo nanica, de média a grande, é R$ 1,00 (já convertido)! As mais comuns vêm da América Central e do Sul. Já vi uvas da África do Sul, pêras da Argentina, maçãs do Brasil etc.

Beterraba, só em conserva!

Beterraba, só em conserva!

As verduras/legumes mais comuns e mais baratos aqui são: tomate, alface (tipo cabeça fechada), cenoura, pepino (estilo japonês aí no Brasil, só que maior), pimentão (verde, vermelho e amarelo – os sabores são bem mais suaves, em comparação aos equivalentes brasileiros), cogumelo champignon (cogumelo é verdura?), brócolis (só encontrei aqui o tipo japonês, que aliás eu gosto mais!), repolho verde e roxo (ambos tem folhas bem duras), batata inglesa e rabanete. Outras opções, mais caras, incluem: abobrinha, aspargos, espinafre, aipo, salsão e outros tubérculos que não sei o nome. Cebola e alho são comuns também! Um detalhe: beterraba só se encontra em conserva, como a da foto, e é muito gostosa.

Nas lojas orientais (chinesas e tailandesas) e árabes (turcas e paquistanesas) que ficam atrás da estação central de trem de Copenhague é possível achar banana de fritar, mandioca, farinha de mandioca (comprei e não gostei, pois ela quase não é torrada e tem um gosto de massa crua de mandioca), vários tipos de feijões (que nos supermercados quase só tem em lata, já cozido), lentilhas, ervilhas, grão de bico etc. Arroz é fácil de encontrar em qualquer supermercado, tanto do tipo parboilizado, quanto do tipo oriental que quando cozido fica “unidos venceremos” (bom para fazer sopa ou risoto). Mas prepare o bolso, pois o quilo não sei menos de 4 reais!

As frutas mais comuns e mais baratas são: laranja (bem diferente das brasileiras e muito saborosas), ameixa, pêra, kiwi, maçã (de vários tipos) e morango. Abacaxi e melancia, só compro quando estão em promoção! O abacaxi é o tipo ananás e a melancia geralmente é do tipo sem semente (as uvas também). Esta melancia da foto comprei ontem na promoção, por 15 coroas (uns 5 reais), sendo que o preço normal dela é em torno de 50 coroas (uns 20 reais). Ah! O abacaxi vem com uma etiqueta, igual a que vem nas roupas, ensinando a descascá-lo!!! Acho que até hoje os dinamarqueses ainda o consideram uma fruta muito exótica! 🙂

Exemplo de melancia, abacaxi e laranja.

Exemplo de melancia, abacaxi e laranja.

Há também as frutas típicas da Europa, como mirtilo (“blueberry”),  cereja, framboesa etc, mas aqui elas são bem carinhas!

A variedade de frutas, verduras e legumes, no geral, é muito menor do que no Brasil. Por exemplo, enquanto lá se encontram facilmente vários tipos de abobrinha, aqui só vi um tipo até agora. O mesmo vale para o pepino, laranja, abacaxi etc. Em contraposição, a qualidade é muito superior.

Lugares para se comprar frutas e verduras (veja outras dicas interessantes e endereços web no blogue do Ericson):

  1. Supermercados populares: Netto, Aldi, Fakta, Super Brugsen – a variedade é pequena e a qualidade é aceitável/razoável, em geral superior aos equivalentes produtos brasileiros; é onde se encontra o menor preço;
  2. Supermercados mais sofisticados: Føtex, Irma, Super Best – a qualidade geralmente é de muito boa a excepcional, os preços são mais altos e há uma boa variedade;
  3. Quiosques (ou Kiosk): há aqueles com foco em frutas e verduras (como o da foto), com bancas expostas nas calçadas, geralmente a qualidade é muito boa e os preços são equivalentes aos dos supermercados tipo 2; há também os quiosques tipo mercearia, bem pequenos, que geralmente abrem todos os dias (os supermercados tem horário de funcionamento bem reduzido e não abrem aos domingos, exceto o primeiro de cada mês);
Exemplo de um quiosque de frutas e verduras.

Exemplo de um quiosque de frutas e verduras.

Todo supermercado faz promoção toda semana (incluindo todos os produtos) e a diferença de preço é enorme, quando o produto está em promoção! Vale a pena passar pelas páginas na web dos supermercados e olhar os artigos em promoção (ou passar numa loja e pegar o livrinho).

Pague com dinheiro; cartões de crédito, geralmente só com chip e a maioria dos estabelecimentos só aceitam o Dankort, um cartão de crédito da Dinamarca. Alguns estabelecimentos cobram taxa extra por usar cartão, então sempre é bom perguntar antes.

Há uma boa oferta de produtos orgânicos também, porém são mais caros, aliás, bem mais caros!!! São chamados aqui de “ecológicos”, e vão de frutas, verduras, legumes a farinha de trigo, de centeio, aveia, sopas, geléias etc.

Anúncios

9 Comentários »

  1. Olá Adílson. Passando para comentar sobre a beterraba… aqui vc encontra beterraba sim… depende da época do ano. Agora no meio e final do verão costuma aparecer mais. Compro sempre no Rema 1000 ou no føtex.

    Outros legumes que vi por aqui e não conhecia é a pastinaca (igual a cenoura, mas branca… não gostei do sabor, tem gosto de cenoura verde), a raiz do aipo (selleri) q eu uso para engrossar a sopa pois aqui mandioquinha é bem dificil e Jordskok (em portugues conhecido como tapinambor ou alcachofra de jerusalém), que parece um gengibre bem pequeno e tb ajuda a engrossar sopa. Dizem q o sabor é parecido com o da mandioquinha, mas achei q nao tem gosto de nada.

    Feijão vermelho, mulatinho e branco vc encontra no Superbest, de 14 a 19 coroas o pct com 900 gr.

    Absss

    Comentário por Natália — 26/06/2009 @ 11:06 | Responder

    • Olá Natália! obrigado por sua visita…
      Pois é! Depois que escrevi o post, vi no Føtex tbm. a beterraba ainda na rama, em molhos… os outros legumes que vc mencionou nunca parei para reparar neles mas vou exprerimentar qualquer dia, para ter uma idéia! Obrigado pelas dicas…

      Se quiser tentar esta receita que um amigo meu postou, fica bem parecido com pão de queijo quando ainda tá bem quentinho:
      http://ericsonsantos.blogspot.com/2009/05/biscoitinhos-rapidos-de-queijo.html
      abracos. Adilson

      Comentário por Adilson J. de Assis — 26/06/2009 @ 13:30 | Responder

  2. Adilson,
    estou fazendo um trabalho em que tenho que xportar uva para a dinamarca.
    Nao acho quase nada sobre os tipos de consumidores e das empresas que exportam.
    Voce saberia me responder, ou em dar algumas dicas?

    obrigada
    Ligida

    Comentário por Ligia Crepaldi — 18/07/2010 @ 19:16 | Responder

    • ola ligida!

      grato pelo seu coment… ja estou de volta ao brasil desde marco deste ano… infelizmente nao posso lhe auxiliar acerca deste assunto, por desconhece-lo por completo… lembro que sempre via nos supermercados uvas da africa do sul, da australia etc, com e sem sementes, todas de excelente qualidade.
      abracos

      Comentário por Adilson J. de Assis — 20/07/2010 @ 2:53 | Responder

  3. Boa tarde, uma vez que tem no seu site algumas informações relativamente ao preço dos produtos alimentares na Dinamarca, será que me podia dizer quanto gastava em média (/mês) em compras de supermercado? Era só para ter uma ideia, uma vez que recebi uma proposta de emprego para lá e gostava de ter uma ideia das despesas que vou ter por mês. Obrigado. Cumprimentos.

    Comentário por Joana Carvalho — 28/02/2013 @ 17:51 | Responder

    • Prezada Joana,
      grato pelo seu comentário!
      Eu recebia 15 mil coroas dinamarquesas como bolsa do governo brasileiro, o que era mais do que suficiente para eu pagar o aluguel (mais ou menos 5 mil coroas) de uma minúscula casa (quarto, cozinha, sala e banheiro), incluídas as taxas (aquecimento, energia e água), internet, transporte e alimentação. Sou do tipo que come bem, sem esbanjar. O segredo na Dinamarca é comprar apenas os produtos que estão em promoção nos supermercados, pois ficam em geral pela metades, as vezes menos, do preço normal. Toda semana tem uma lista em promoção e indo em mais de um supermercado, consegue-se comprar tudo que se necessita, somente pegando as promoções. Consulte na internet os preços atualizados, pois todos os supermercados tem folhetos semanais com preços promocionais na internet (www.aldi.dk, http://www.netto.dk, http://www.foetex.dk, http://www.superbrugsen.dk, http://www.superbest.dk). Olhe também estas dicas: http://vidanovanadk.blogspot.com.br/2010/09/supermercados.html

      Comentário por Adilson J. de Assis — 28/02/2013 @ 18:24 | Responder

      • … em tempo: comer fora de casa na Dinamarca é absurdamente caro, mesmo em redes “fast food”!

        Comentário por Adilson J. de Assis — 28/02/2013 @ 18:31

  4. Caro Adilson, antes demais obrigado pela resposta (não esperava que fosse tão rápida!).
    Já agora uma última pergunta: no trabalho, dado que os preços nos restaurantes são tão elevados, é habitual levarem comida de casa para o almoço no dia à dia?
    Obrigado mais uma vez.
    Cumprimentos, Joana.

    Comentário por Joana Carvalho — 28/02/2013 @ 18:37 | Responder

  5. Prezada Joana
    Sim, é muito comum as pessoas levarem a comida de casa, quando a empresa não oferece refeição. No meu caso, como estava na Universidade, levava e deixava guardada na geladeira e depois esquentava no microondas. Todos os blocos da universidade dispõem de cozinha completa com refrigerador, forno microondas, pratos, talheres etc. Os dinamarqueses em geral comem apenas comida fria no almoço (sanduíche, um sanduíche aberto com pão preto e vários tipos de coberturas, verduras e frutas), apesar do clima frio… eu tinha necessidade de comer/beber algo quente, pois como sou dos trópicos, necessitava aquecer o corpo de várias formas ao longo do dia… nas atividades de lazer (praia, parques, museus etc) é comum todos levarem suas comidas/bebidas… comer em restaurante na Dinamarca é somente para as ocasiões muito especiais!
    Um abraço e boa sorte na sua pesquisa,
    adilson

    Comentário por Adilson J. de Assis — 28/02/2013 @ 18:45 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: