DK uma notícia, Adilson!

30/04/2009

Os pães na Dinamarca

Filed under: Uncategorized — Adilson J. de Assis @ 15:05

Para um “pão-ófilo” assumido como eu, não poderia deixar de incluir uma postagem falando um pouquinho acerca dos pães na Dinamarca!

O tipo mais comum de pão aqui, uma espécie de marca registrada nacional, é o rugbrød ou pão de centeio! Ele é tão importante para os nativos que até a Embaixada da Dinamarca no Brasil inclui receitas dele no seu sítio!! Além do uso da farinha de centeio, é comum o interior conter grãos inteiros deste cereal ou outros grãos, como por exemplo, sementes de girassol. O pão fica bem úmido e pesado, sem ser compacto. Aliás, este é um segredo que tenho que aprender, pois no Brasil, quando fazia pão de centeio usando somente farinha de centeio, ele não crescia quase nada! Tenho que descobrir o que os dinamarqueses fazem para ele crescer…

morkt_rugbrod_8105 nlkh-brd003_med rugbrc3b8d rugbrc3b8d-pris-og-vc3a6gt-003_thumb1

Diz-se em geral que os estrangeiros não gostam do rugbrød e por outro lado os dinamarqueses sentem muito sua falta quando estão fora. Eu, particularmente, gosto muito deste pão, em todas as suas variantes. Além de saboroso e nutritivo, contém um alto teor de fibras e necessita ser mastigado sem pressa, a fim de triturar bem a massa, o que faz a percepção do sabor dele se aguçar mais.

Há pães de farinha branca também, que chamam de pão francês, embora não tenha o formato característico dos nossos no Brasil. Há ainda uma grande variedade de pães integrais, mais leves que o rugbrød e todos (ou quse) cobertos com grãos, cada um mais delicioso do que o outro!!!

No almoço, os nativos costumam comer o Smørrebrød ou fatias de rugbrød cobertas com manteiga, batatas cozidas, salames, queijos, peixes e frutos do mar, pepino etc. Em resumo, é um sanduíche frio e aberto usando o rugbrød como “base”. As variantes são imensas e eu tenho minhas próprias coberturas, todas vegetarianas, obviamente!!! A seguir, alguns exemplos dos smørrebrøds “genuínos”.

47491869_5a17a6d970

Anúncios

18/04/2009

Lazer em Kgs. Lyngby e região?!?

Filed under: Uncategorized — Adilson J. de Assis @ 20:16

Kongens (ou Kgs.) Lyngby é uma cidade privilegiada, por vários fatores:

  • possui uma das maiores universidades da Dinamarca, a DTU;
Mapa do campus da DTU, Universidade Técnica da Dinamarca.

Mapa do campus da DTU, Universidade Técnica da Dinamarca.

  • está próxima de Copenhaguen (~ 15 km), sendo inclusive considerada como parte da grande Copenhague;
A rua mais movimentada de Kgs. Lyngby.

A rua mais movimentada de Kgs. Lyngby.

  • está situada entre a costa (com praias a 5 km), grandes lagos e parques;
  • a mais ou menos 4 km de distância, em direção à costa, fica Bakken, um dos grandes parques de diversão do país, com montanhas russas, passeios diversos e muito mais;
  • sedia bons museus (o mais importante deles é o Museu ao Ar Livre ou “Frilandsmuseet“, que contém cenários e casas de toda a Dinamarca);

  • … e tem um grande shopping center!

A seguir, apresento mais de perto o que tenho descoberto aqui na região, andando de bike:

Kgs. Lyngby e região.

Kgs. Lyngby e região.

  • Parque Jægersborg Dyrehave: é um parque grande, que vai até a costa, usado para caçadas pela família real e possui muitas trilhas e animais, sendo os principais, os cervos:
Eremitagesletten (Casa do ermitão?), dentro do Parque Jægersborg Dyrehave.

Eremitagesletten (Casa do ermitão?), dentro do Parque Jægersborg Dyrehave.

Cervos (ou serão renas?)

Cervos (ou serão renas?)

Passeio com as crianças, com os cachorros, com os amigos etc...

Passeio com as crianças, com os cachorros, com os amigos etc...

Parte norte do parque (chamada de Raavad), acima da rua Skodsborgvej.

Parte norte do parque (chamada de Raavad), acima da rua Skodsborgvej.

  • Costa leste da ilha Zelândia (Sjælland). Copenhague fica localizada nesta ilha:
Próximo de Skodsborg (a areia é limpa, mas tem muitas algas)

Próximo de Skodsborg (a areia é limpa, mas tem muitas algas)

Skodsborg

Skodsborg

Praia em Skodsborg (a 4 km de casa); 15 km do outro lado, a Suécia.

Praia em Skodsborg (a 4 km de casa); 15 km do outro lado, a Suécia.

  • Lago Furesø: um lago imenso, cercado de áreas verdes e trilhas para caminhar ou andar de bicicleta; lugar usado também para canoagem e velejar; um lugar impressionamente bonito:
Canal que liga os lagos de Lyngby Sø e Furesø. Aqui é possível alugar botes.

Canal que liga os lagos de Lyngby Sø e Furesø. Aqui é possível alugar botes.

Após atingir altos níveis de poluição nas décadas de 1950/60, foi posteriormente despoluído e hoje suas águas são cristalinas!

Após atingir altos níveis de poluição nas décadas de 1950/60, foi posteriormente despoluído e hoje suas águas são cristalinas!

... pausa para meditar e relaxar!

... pausa para meditar e relaxar!

Lago Furesø

Lago Furesø

Velas ao vento, mas no lago!

Velas ao vento, mas no lago!

Mato, na primavera, no parque ao lado do lago Furesø

Mato, na primavera, no parque ao lado do lago Furesø

Um descanso para os olhos... (não para as pernas, pois estava quase colocando os bofes para fora, por conta das subidas e descidas da trilha que margeia o lago!)

Um descanso para os olhos... (não para as pernas, pois estava quase colocando os bofes para fora, por conta das subidas e descidas da trilha que margeia o lago!)

13/04/2009

Copenhague dos parques (1)

Filed under: Uncategorized — Adilson J. de Assis @ 19:30

Copenhague é uma cidade que optou por oferecer o máximo possível de qualidade de vida aos seus habitantes:

  • possui um transporte público eficiente, constituído principalmente por trem e ônibus, mas possui duas linhas de metrô e também algumas linhas do ônibus aquático (devido aos diversos canais que existem na cidade);
  • incetiva o uso de bicicletas a fim de diminuir a concentração de carros na parte mais central e também para auxiliar na qualidade do ar; a cidade é cheia de ciclovias (e o país também), que são muito bem sinalizadas (com indicação do número da ciclovia e distância e direção dos lugares mais próximos) e algumas possuem até iluminação noturna;

  • este é o ponto forte: tem muitas áreas verdes, parques, praças etc. A seguir, alguns exemplos – final do inverno e início da primavera:
King's Gardens (Jardins Reais)

King's Gardens (Jardins Reais)

Igreja Skt. Alban, ao lado do fosso do Kastellet.

Igreja Skt. Alban, ao lado do fosso do Kastellet.

Moinho, dentro do Kastellet.

Moinho, dentro do Kastellet.

Frederiksberg Have. dsc036311

Frederiksberg Have.

A Pequena Sereia e parte do parque ao lado da costa.

A Pequena Sereia e parte do parque ao lado da costa.

Canal de Peblinge Sø, entre o centro e Nørrebro.

Canal de Peblinge Sø, entre o centro e Nørrebro.

Ørsteds parken (Parque de Ørsteds) dsc03715

Ørsteds parken (Parque de Ørsteds)

Jardins Tivoli, único com entrada paga, mas repleto de atrações (http://www.tivoli.dk/composite-3351.htm).

Jardins Tivoli, único com entrada paga, mas repleto de atrações (http://www.tivoli.dk/composite-3351.htm).

Botanisk Have (Jardim Botânico)

Botanisk Have (Jardim Botânico)

06/04/2009

Mini-cruzeiro para Oslo ou como (não) morder a isca

Filed under: Uncategorized — Adilson J. de Assis @ 18:45

Parece mentira, mas que tal fazer um cruzeiro de Copenhague para Oslo (Noruega) pagando apenas uns 140,00 reais por pessoa?

Pois é, e não é promoção relâmpago não! Funciona assim: você entra no site da DFDS Seaways (em Inglês) e verifica as datas com passagens mais baratas para o mini-cruzeiro. Há várias rotas disponíveis, quase todas partindo da Inglaterra, mas no caso coloquei o link já para a rota Copenhague-Oslo.

cph_oslo

Distância entre as cidades: aproximadamente 600 km. Sai as 17 horas (em ambas as cidades) e chega no outro dia as 9:30 h da manhã. Portanto, tem-se apenas 6 horas e pouco para conhecer Oslo (ou pelo menos para ter uma visão geral da cidade). O mini-cruzeiro promocional não permite pernoitar em Oslo (ou vice-versa).

O preço de 140,00 reais citado acima inclui passagem (ida e volta) e uma cabine (com cama, mesa, banheiro, toalhas e sabão), sem vista para o mar. Caso disponha de mais capital, pode escolher cabines com vista, com ou sem luxo! Além da passagem e cabine, o serviço de acesso de internet Wi-Fi é gratuito também, assim como o acesso aos ambientes noturnos (há bares com música ao vivo, casas noturnas com pista de danca, “club disco” com DJ) e piscinas (estão mais para uma banheira). Todo o resto é pago – restaurantes, compras no Free Shopping (sim, há um, livre de impostos, mas os preços não são lá tão convidativos não) etc.

Um dos navios que faz a rota é o PEARL OF SCANDINAVIA, mostrado na figura abaixo. Sua capacidade é para 2 168 almas vivas e encarnadas ou também chamadas de pessoas!!!

Pagando mais uns 60,00 reais por pessoa, você pode incluir o café da manhã, na ida, ou na volta, tipo “buffet” ou coma quanto você conseguir. O restaurante que serve o café abre as 7 da manhã e quase meia-hora antes já há gente na fila, pois todos querem pegar os lugares com vista para o mar ou para a terra. Antes de chegar em Oslo, que fica no “interior” da Noruega, acessível por mar via um imenso fiorde, passam-se por várias vilas de pescadores e outras paisagens bucólicas:

oslo1

dsc03827 dsc038311 dsc03832Imagens do fiorde de Oslo, com “mau tempo”, na primavera, mas ainda com gelo! A previsão do tempo dizia que faria sol, e eu, bobo, acreditei!!! Comparem com o tempo em Copenhague, abaixo, no final.

Como o preço da passagem pode ser barato, dependendo da data e da cabine, a companhia lucra nos serviços a bordo. Um jantar não sai por menos de 100,00 reais. Um café preto (nem é expresso), um copão grande, custa 11,00 reais (em Uberlândia custa 0,50!) e por aí vai… então, a questão é não morder a isca e levar comidinha na mochila: muita gente faz isto, os pobres e os “pão-duro” (vou deixar no singular pois plural de palavra composta não é o meu forte!) é claro! Leva e coma na cabine, escondido ou no deque, vendo o mar ou a paisagem, se o tempo ajudar. Na saída, fazia um sol maravilhoso em Copenhague, como pode-se ver abaixo:

dsc03808 dsc038123 dsc03826

OBS: este mini-cruzeiro imperdível foi uma dica do Palazzo, no seu blogue.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.